domingo, 27 de maio de 2012

Instrumentos e Técnicas de Intervenção utilizados pelas estagiárias de Serviço Social

No CMS Milton Fontes Magarão, os instrumentos e técnicas de intervenção utilizados pela estagiária de Serviço Social, Luanna Martins, são: Entrevista individual ou grupal - Ocorre quando o usuário vai até o CMS buscar alguma informação ou encaminhado por outra Instituição. Nesse momento há uma comunicação direta entre assistente social e usuário podendo ser 1 ou mais usuários em que o usuário pode ser ouvido, exprimir suas ideias, vontades e necessidades, mas em que também é exigido do profissional ter uma escuta qualificada para pode compreender o significado do choro, das expressões faciais, pois a comunicação não se dá somente pela fala; Dinâmica de grupo - Muito realizada em trabalhos com um número maior de usuário que estejam vivenciando situações parecidas para sensibilizá-los, como trabalhos sócio-educativos e Grupo de Convivência Alegria de Viver; Reunião - No CMS Milton Fontes Magarão são realizadas reuniões tanto entre os profissionais, quanto entre a assistente social supervisora de estágio e as estagiárias para melhor apreender este momento de contato com a prática para se estabelecer a relação prática e teoria; Livros de Registro - No CMS Milton Fontes Magarão estagiárias e profissionais de Serviço Social tem o costume de todo dia ler o Livro de Registro antes de iniciar os atendimentos para que se possa ter conhecimento do que as outras profissionais e estagiárias de Serviço Social estão desenvolvendo na Instituição. Utilizam um único livro onde anotam as orientações e liberações de condons pelo Programa de Prevenção DST/AIDS e pelo Programa de Planejamento Familiar, as inscrições no Programa de Planejamento Familiar, os monitoramentos do Programa Bolsa Família, os atendimentos de demandas livres, os encaminhamentos, dentre outras questões; e, Diário de campo - Foi pedido pros estagiários no CMS e considero importante para nós, estagiários, para exercitarmos a sistematização de nossa prática e fazermos o exercício de refletirmos sobre nossa teoria e prática e até mesmo para nossa supervisora compreender como estávamos vivenciando o estágio. Em meu Diário de campo fiz críticas, observações sobre a prática de outros profissionais do Serviço Social no CMS, como também propus e realizei um trabalho sobre sexualidade na 3ª idade com o Grupo de Convivência Alegria de Viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário